Namoro em Terra Nova

Sempre fui um fracasso em fazer amigos

2017.10.06 06:30 itsvictornunes Sempre fui um fracasso em fazer amigos

Eu sempre fui um completo fracasso em fazer amigos desde que me entendo por gente. Quando era pirralho sempre era alvo de zoação e humilhações, acredito que seja pelo fato de que mesmo sem saber o que era ser gay eu sempre dei pinta e ai ninguém queria fazer amizade comigo, me lembro que meus “coleguinhas” costumavam ser cruéis comigo por nada me xingando e me batendo e eu era meio bobão e em vez de revidar ia pra um canto chorar, não contava nada pra minha mãe pq tinha vergonha e não queria dar trabalho, logo fui me isolando e achando refúgio nos livros, virei o cdf da sala o que no final só piorou as coisas pro meu lado pq isso deixava os outros meninos da sala com mais raiva ainda, minha infância na escola foi um lixo exceto pelos livros. Me lembro que foi difícil pra mim pq via meus irmãos brincando com os coleguinhas, indo pra casa deles brincar e eu lá sozinho sempre com meus livros, minha avó vivia preocupada achando que eu tinha algum problema e eu inventava alguma mentira dizendo que tinha amiguinhos sim mas eles eram muito ocupados e a gente só se encontrava na escola.
E a coisa foi indo desse jeito meia bomba até o fim do fundamental, não fiz mais que colegas mas por pura conveniência mesmo, aquele caso das pessoas quererem se aproximar do “nerd” da sala pra tirar uma casquinha e passar na prova. Quando me assumi gay, lá pelos meus 14 anos comecei a frequentar os points gays do meu bairro e ai acabei fazendo amizade com alguns meninos, foi a primeira vez que eu pude ser eu mesmo sem ter medo de ser agredido ou xingado, foi tão bom encontrar pessoas iguais a mim ou que me entendiam um pouco, eu realmente pensei que a partir daí meu circulo de amizades iria dar uma guinada, eu tava maravilhado em saber que eu não era o único gay da face da terra e com aquele mundinho feito de glitter e divas pop, doce ilusão, como disse ali em cima eu sempre fui bobão e com 14/15 anos ainda era muito ingênuo mesmo, meu mundo de algodão doce derreteu a partir do momento em que comecei a perceber a falsidade exarcebada dos meus “amigos” gays, o deboche maldoso na maneira como eles me tratavam, como eles criticavam minha aparência, minhas roupas, meu jeito de ser e como diziam que gays afeminados como eu eram a escoria da categoria que nenhum menino iria querer ficar comigo pq eles preferiam os mais “machinho”, e eu demorei a perceber isso, o quanto eles eram tóxicos e o quanto eu fui burro de ter dado ouvido a todos eles. Não digo que todos gays são assim, eu não sou, eu nunca gostei de me sentir melhor do que ninguém, nunca fiz outra pessoa se sentir mal por quem ela é pq sei como é isso na pele, eu sei como dói, o problema é que as gays daquele tempo aqui do bairro pareciam querer ser alguma caricatura de alguma vilã de novela, falavam mal de tudo e todos pelas costas, passavam a perna nos outros com a maior naturalidade e eu nunca fui assim, nunca foi minha vibe sabe? Acabei que me afastei deles também e comecei a sair pras baladas gays sozinho mesmo, a essa altura eu já me considerava um et fracassado sem amigos mas por incrível que pareça a experiência de sair pra outras baladas sozinho foi tão libertadora, comecei a sair pra baladas mais distantes no centro da cidade e ai podia fazer as maiores merdas que no dia seguinte não ia ter fofoca, sem conhecidos, um mundo de possibilidades novas, foi bacana até.
Nesse meio tempo conheci uma moça chamada Rosi, ela era bem mais velha que eu mas acabamos ficando amigos, ela foi minha amizade mais duradoura, 7 anos de amizade, ela sempre foi legal comigo, só tinha um porém: ela me fazia de depósito emocional pras frustrações dela, eu nunca reclamei pq na época não tinha mais o que fazer além de ouvir as histórias dela e eu sempre fui um bom ouvinte mas com o tempo eu meio que acabava fugindo dela pq ela só me chamava pra isso ou pedir algum favor e o pior quando eu resolvia desabafar sobre algo ela sempre fazia pouco caso como se meus problemas não fossem tão relevantes quanto os dela, as vezes ela nem prestava atenção no que eu tava falando, mas continuava a amizade pq ela foi a primeira pessoa pra quem eu disse que era gay e ela foi simplesmente fantástica comigo, sem o apoio dela jamais teria tido a coragem de contar de vez pra minha família....no fim das contas em 2011 ela simplesmente sumiu, fiquei preocupado, procurei ela por dias e só fui saber por uma outra amiga dela que ela tinha ido embora pro Mato Grosso , cidade natal dela, e que não voltaria mais, juro que não entendi nada, ela simplesmente sumiu e nem se despediu de mim, sei lá fiquei mô tempão grilado com isso quando 2 anos depois ela reaparece no Facebook como quem não quer nada, nos acertamos mas nada era mais como antes, a última vez que ela falou comigo foi pra me pedir um favor, para variar rs, e ai eu nem respondi.
Pro desespero daqueles que um dia achei que fossem meus amigos no passado,Hoje eu namoro a mais de 6 anos com o cara que acredito ser o amor da minha vida e também o melhor amigo de verdade que já tive, sou grato todos os dias por ter encontrado ele mas não consigo parar de pensar no azar que tenho com amizades, nenhuma prestou, eu realmente não consigo entender, eu já me analisei varias vezes pensando que o problema talvez tenha sido eu mas porra eu sempre fui de boa com todo mundo, sempre ajudei , sempre tive respeito por todos, sempre estive ali pra eles e nada disso impediu eles de pisarem na bola e serem fdps comigo. Ou eu sou estranho ou o mundo é muito fodido, precisava desabafar isso vlw pessoal
TL:TR minhas amizades nunca deram certo num loop infinito de azar , bad trips pessoais achando que o problema sou eu.
submitted by itsvictornunes to desabafos [link] [comments]


2017.10.06 06:17 itsvictornunes Nunca dei sorte com amizades

Eu sempre fui um completo fracasso em fazer amigos desde que me entendo por gente. Quando era pirralho sempre era alvo de zoação e humilhações, acredito que seja pelo fato de que mesmo sem saber o que era ser gay eu sempre dei pinta e ai ninguém queria fazer amizade comigo, me lembro que meus “coleguinhas” costumavam ser cruéis comigo por nada me xingando e me batendo e eu era meio bobão e em vez de revidar ia pra um canto chorar, não contava nada pra minha mãe pq tinha vergonha e não queria dar trabalho, logo fui me isolando e achando refúgio nos livros, virei o cdf da sala o que no final só piorou as coisas pro meu lado pq isso deixava os outros meninos da sala com mais raiva ainda, minha infância na escola foi um lixo exceto pelos livros. Me lembro que foi difícil pra mim pq via meus irmãos brincando com os coleguinhas, indo pra casa deles brincar e eu lá sozinho sempre com meus livros, minha avó vivia preocupada achando que eu tinha algum problema e eu inventava alguma mentira dizendo que tinha amiguinhos sim mas eles eram muito ocupados e a gente só se encontrava na escola.
E a coisa foi indo desse jeito meia bomba até o fim do fundamental, não fiz mais que colegas mas por pura conveniência mesmo, aquele caso das pessoas quererem se aproximar do “nerd” da sala pra tirar uma casquinha e passar na prova. Quando me assumi gay, lá pelos meus 14 anos comecei a frequentar os points gays do meu bairro e ai acabei fazendo amizade com alguns meninos, foi a primeira vez que eu pude ser eu mesmo sem ter medo de ser agredido ou xingado, foi tão bom encontrar pessoas iguais a mim ou que me entendiam um pouco, eu realmente pensei que a partir daí meu circulo de amizades iria dar uma guinada, eu tava maravilhado em saber que eu não era o único gay da face da terra e com aquele mundinho feito de glitter e divas pop, doce ilusão, como disse ali em cima eu sempre fui bobão e com 14/15 anos ainda era muito ingênuo mesmo, meu mundo de algodão doce derreteu a partir do momento em que comecei a perceber a falsidade exarcebada dos meus “amigos” gays, o deboche maldoso na maneira como eles me tratavam, como eles criticavam minha aparência, minhas roupas, meu jeito de ser e como diziam que gays afeminados como eu eram a escoria da categoria que nenhum menino iria querer ficar comigo pq eles preferiam os mais “machinho”, e eu demorei a perceber isso, o quanto eles eram tóxicos e o quanto eu fui burro de ter dado ouvido a todos eles. Não digo que todos gays são assim, eu não sou, eu nunca gostei de me sentir melhor do que ninguém, nunca fiz outra pessoa se sentir mal por quem ela é pq sei como é isso na pele, eu sei como dói, o problema é que as gays daquele tempo aqui do bairro pareciam querer ser alguma caricatura de alguma vilã de novela, falavam mal de tudo e todos pelas costas, passavam a perna nos outros com a maior naturalidade e eu nunca fui assim, nunca foi minha vibe sabe? Acabei que me afastei deles também e comecei a sair pras baladas gays sozinho mesmo, a essa altura eu já me considerava um et fracassado sem amigos mas por incrível que pareça a experiência de sair pra outras baladas sozinho foi tão libertadora, comecei a sair pra baladas mais distantes no centro da cidade e ai podia fazer as maiores merdas que no dia seguinte não ia ter fofoca, sem conhecidos, um mundo de possibilidades novas, foi bacana até.
Nesse meio tempo conheci uma moça chamada Rosi, ela era bem mais velha que eu mas acabamos ficando amigos, ela foi minha amizade mais duradoura, 7 anos de amizade, ela sempre foi legal comigo, só tinha um porém: ela me fazia de depósito emocional pras frustrações dela, eu nunca reclamei pq na época não tinha mais o que fazer além de ouvir as histórias dela e eu sempre fui um bom ouvinte mas com o tempo eu meio que acabava fugindo dela pq ela só me chamava pra isso ou pedir algum favor e o pior quando eu resolvia desabafar sobre algo ela sempre fazia pouco caso como se meus problemas não fossem tão relevantes quanto os dela, as vezes ela nem prestava atenção no que eu tava falando, mas continuava a amizade pq ela foi a primeira pessoa pra quem eu disse que era gay e ela foi simplesmente fantástica comigo, sem o apoio dela jamais teria tido a coragem de contar de vez pra minha família....no fim das contas em 2011 ela simplesmente sumiu, fiquei preocupado, procurei ela por dias e só fui saber por uma outra amiga dela que ela tinha ido embora pro Mato Grosso , cidade natal dela, e que não voltaria mais, juro que não entendi nada, ela simplesmente sumiu e nem se despediu de mim, sei lá fiquei mô tempão grilado com isso quando 2 anos depois ela reaparece no Facebook como quem não quer nada, nos acertamos mas nada era mais como antes, a última vez que ela falou comigo foi pra me pedir um favor, para variar rs, e ai eu nem respondi.
Pro desespero daqueles que um dia achei que fossem meus amigos no passado,Hoje eu namoro a mais de 6 anos com o cara que acredito ser o amor da minha vida e também o melhor amigo de verdade que já tive, sou grato todos os dias por ter encontrado ele mas não consigo parar de pensar no azar que tenho com amizades, nenhuma prestou, eu realmente não consigo entender, eu já me analisei varias vezes pensando que o problema talvez tenha sido eu mas porra eu sempre fui de boa com todo mundo, sempre ajudei , sempre tive respeito por todos, sempre estive ali pra eles e nada disso impediu eles de pisarem na bola e serem fdps comigo. Ou eu sou estranho ou o mundo é muito fodido, precisava desabafar isso vlw pessoal
TL:TR minhas amizades nunca deram certo num loop infinito de azar , bad trips pessoais achando que o problema sou eu.
submitted by itsvictornunes to brasil [link] [comments]